O “santo” de fora quer fazer “milagre” aqui

Publicado: janeiro 12, 2017 em Sem categoria

 

 

mono-pensando

 

 

Superlotação carcerária e violência policial preocupam no Brasil, diz ONG (norte-americana)

 

O funcionamento dos sistemas carcerário e prisional brasileiros colocam o país num caminho tortuoso, que só deve resultar em mais violência e mais violações de direitos. Segundo relatório da ONG Human Rights Watch (HRW) para o Brasil, “problemas crônicos de direitos humanos continuam a prejudicar o sistema de justiça criminal brasileiro”. (CONJUR – Consultor Jurídico – 12/01/2017)

 

 

http://www.conjur.com.br/2017-jan-12/superlotacao-carceraria-violencia-policial-preocupam-ong

 

sonhar_com_assalto01

 

Matar o ladrão que te rouba ou furta é crime – Para Entender Direito

 

Não importa que o ladrão já houvesse furtado a casa várias vezes. A bem da verdade, isso pode piorar a posição de quem matou: se o ladrão furtou a casa várias vezes e nunca colocou a vida do dono em perigo, era ainda menor a possibilidade de colocá-la em perigo do que se fosse a ‘sua primeira vez’. (Agência Estado/Folha – UOL – 15/07/2011)

 

http://direito.folha.uol.com.br/blog/matar-o-ladro-que-te-rouba-ou-furta-crime

 

 

charge

 

Brasileiro se arrepende de ter revertido pena de morte para prisão perpétua

 
Escapar da execução é o sonho de 3 mil detentos que esperam no corredor da morte nos EUA. Mas 15 anos após sair da lista, Osvaldo se arrependeu. (Fantástico/Rede Globo – 03/05/2015)

 

Fantástico: Entre ser morto e passar o resto da vida na prisão, o que você prefere?

Osvaldo: Ser morto, ser executado.

 

 

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/05/brasileiro-se-arrepende-de-ter-revertido-pena-de-morte-para-prisao-perpetua.html

 

 

humirde

 

 

Entenda por que famílias de presos são indenizadas e as de latrocínio não

 

Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado determina que o poder público deve responder pela integridade física dos presos, inclusive quando o detendo comete suicídio.

 

“Eles [os tribunais] consideram que uma pessoa comum, que é assassinada na rua, é uma falha de um dever genérico de segurança do Estado. Por outro lado, no caso do preso, os tribunais e agora o STF, neste julgamento que foi deferido, entendem que tem um dever específico de custódia, de guarda, de proteger a integridade física dos presos”, explica. Segundo a Constituição Federal, o Estado tem o dever de proteger quem está sob custódia. (Nação Jurídica – 05/01/2017)

 

http://www.nacaojuridica.com.br/2017/01/entenda-por-que-familias-de-presos-sao.html

 

luladrao

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s