E se o “Levy” tivesse tomado conta do cofre do Adhemar, grupo BANDo, não teria sido assunto para Brasil Urgente?

Publicado: junho 16, 2019 em Sem categoria

Benedito Cujo

Joaquim Levy pede demissão da presidência do BNDES – (Terraviva/BAND – 16/06/2019)

Joaquim Levy pediu demissão da presidência do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) após o presindete, Jair Bolsonaro, declarar que o economista estava com “a cabeça a prêmio”.

Confira mais detalhes na reportagem!

https://tvterraviva.band.uol.com.br/noticia/100000961773/joaquim-levy-pede-demissao-da-presidencia-do-bndes.html

Primeiro, é que o Bolsonaro foi um “trapalhão” ao nomear esse figura que andou com toda a CORJA lá de trás, para presidir um banco que ainda não teve, e não terá, uma faxina geral para expôr toda a roubalheira, desvios e perdas irreparáveis aos cofres públicos.

O caso do BNDES é como o do bandido que assalta e diz: – Perdeu, playboy!

Segundo, é que chega a ser um deboche desse grupo BANDo, ao colocar uma apresentadora vestida de militante vermelha no repetitivo canal por assinatura BandNews, para mostrar o currículo desse Levy.

Um grupo de comunicação que apesar ter feito coisas boas no passado, assim como antro de Roberto Marinho, mas que anda mancomunado com “manjados” da Faliu de S.Paulo, TV Cultura Herzog e outros esquerdistas da velha imprensa do século XX, quer apresentar o Datena como “salvador da pátria, ou do próprio grupo.

Infelizmente, os brasileiros que acham que tem sorte por ter grupos de comunicação como esse, tem na verdade é o azar de ter os poderes, o sistema podre e a falsa esperança de que as coisas irão melhorar, porque se um pente fino fosse passado nesse Grupo Bandeirantes, e as coisas acontecessem como deveria ser, isso seria extinto e ainda teria que pesadas multas.

Se de um lado o Grupo Globo detém monopólios, do outro esse aí tem concessões demais, tanto que a situação de alguns veículos que ele detém e de algumas parcerias internacionais mereciam até uma CPI.

MAS, PARA QUE OS LEITORES NÃO PERCAM A MEMÓRIA, OU PASSEM A SABER, ABAIXO ESTÃO ALGUMAS COISAS SOBRE DE ONDE VEM E DO QUE SE TRATA QUANDO SE FALA EM GRUPO BANDEIRANTES DE COMUNICAÇÃO.

O GRAVE PROBLEMA DO BRASIL, QUE PASSA POR UM APOCALIPSE, NÃO É SÓ DOS TRÊS PODERES.

Adhemar de Barros, citado por Sérgio Cabral na Lava-Jato, e o ‘rouba, mas faz’ – (Jornal O Globo – 07/12/2017)

Conhecido por bordão, ele foi deputado, interventor na ditadura Vargas, prefeito, duas vezes governador de SP e cassado por militares. Roubo de cofre marca “luta armada”.

Buscando tratamento para problemas de saúde, Adhemar de Barros acabou morrendo, em 12 de março de 1969, em Paris, deixando a esposa Leonor Mendes de Barros, com quem teve quatro filhos.

Em 18 de julho do mesmo ano, numa das mais espetaculares ações da guerrilha de esquerda durante o regime militar, Adhemar teve seu nome envolvido em um grande escândalo: de um cofre instalado na casa de sua amante e secretária Ana Benchimol Capriglione, no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, foram roubados cerca de US$ 2,5 milhões. A ação, visando a financiar a luta armada contra a ditadura em seu período mais truculento, foi comandada por militantes da Vanguarda Armada Revolucionária de Palmares (VAR-Palmares) e, segundo relatos e investigações, teria contado com a colaboração da ex-presidente da República Dilma Rousseff, uma das lideranças do grupo.

Na ocasião, cerca de 16 militantes chegaram à casa do “Dr. Rui”, como era conhecida a amante do ex-governador e identificaram-se como policiais, apresentando um falso mandado de busca e apreensão. Em seguida, renderam os funcionários e os agruparam na biblioteca da casa. Até hoje o destino do dinheiro é um mistério com inúmeras hipóteses. Uma delas é de que parte da quantia que não caiu nas mãos dos órgãos de segurança teria ficado com o MR-8, grupo para o qual se transferiu Carlos Lamarca, um dos comandantes da VAR-Palmares na época do roubo.

Conforme noticiou O GLOBO em 9 de fevereiro de 1995, além do cofre roubado, documentos do Dops, guardados no Arquivo Público do Estado de São Paulo, demonstram que a polícia política sabia da existência de pelo menos mais um cofre do ex-governador paulista. Já os ex-militantes da VAR-Palmares dizem que seu grupo tinha informações seguras de que havia pelo menos mais seis cofres, dois com endereços também conhecidos.

https://acervo.oglobo.globo.com/em-destaque/adhemar-de-barros-citado-por-sergio-cabral-na-lava-jato-o-rouba-mas-faz-22160892

A FAMÍLIA SAAD E A OBSCURA ADMINISTRAÇÃO DA BAND – (REDE INTERLIGADA MUNDIAL – 02/08/2013)

Depois que seu João Saad vendeu a Lacta da qual era proprietário e sócio juntamente com seu sogro o ex-governador Adhemar de Barros isso em 1996 a partir daí a Band passou a ficar estagnada no IBOPE além de ter uma estrutura falha e precária com estúdios velhos e equipamentos ultrapassados e sucateados.A única coisa que dá dinheiro e enche os cofres do Grupo Bandeirantes é aquele que vem dos alugueis dos religiosos, que sem aquela pequena fortuna paga mensalmente pelos pastores seria impossível manter uma programação meia boca com o jeito Band de fazer TV, os investimentos só vem daí porque o que realmente o que o Jhonny Saad quer fazer é gastar e torrar todo o patrimônio dele e de seus irmãos que ficaram chupando o dedo literalmente.

https://rededante.blogspot.com/2013/08/a-familia-saad-e-administracao-da-band.html

Há 50 anos, “ditadura” derrubava governador de São Paulo – (Ricardo Westin/Agência Senado – 06/06/2016)

Após a cassação, Adhemar deixou o Brasil. Um ataque cardíaco o mataria pouco depois, em 1969, na França, aos 67 anos.

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/06/06/ha-50-anos-ditadura-derrubava-governador-de-sao-paulo

Um dito “profissional de imprensa” que usa de um meio de comunicação de um Senado, conhecido pela imprensa do exterior como “A Casa dos Horrores”, para publicar um texto como esse que sufoca a “verdeira” verdade, tinha que ser fuzilado por crime de lesa-pátria ou deixado ao bel-prazer da população em praça pública.

A queda de Dilma Kindle Edition – by Ricardo Westin (Author)

Como é que um tipo como esse, que trabalhou nos mais “traiçoeiros” veículos da velha imprensa nacional do século XX, formado em uma universidade federal marxista do Rio de Janeiro, que teve até terrorista extraditado dando aula, consegue um cargo em um legislativo federal?

Isso aí, é o mesmo que colocar um Herzog em uma TV pública paulista, para difundir sua militância à favor dos PEÇONHENTOS que só praticaram atos diabólicos contra o Brasil.

E NÃO É SÓ ISSO, HÁ VÁRIAS PUBLICAÇÕES DA IMPRENSA DO SENADO NAS REDES SOCIAIS, VOLTADAS PARA OMISSÃO DE FATOS HISTÓRICOS E PROMOÇÃO DA INVERSÃO DE VALORES E DE BANDIDOS.

QUEM CONTRATOU ESSA GENTE, DEVERIA SER BANIDO PARA SEMPRE DA VIDA PÚBLICA.

O decreto 64.345, assinado pelo então presidente Costa e Silva e publicado no Diário Oficial da União de 10 de dezembro de 1969, era claro: – (Senado Notícias)

– Antes do golpe, as empreiteiras (nacionais) eram basicamente especialistas em obras rodoviárias. Elas ampliaram essa atuação na ditadura, com uma ampla proteção do aparelho do Estado, conquistaram know-how e, posteriormente, exportaram essa experiência para o exterior — afirma Campos.

O caso mais emblemático do período é o da Camargo Corrêa. Um dos fundadores da companhia, Sílvio Brand Corrêa, era cunhado do então governador de São Paulo, Adhemar de Barros. Segundo Campos, o acesso privilegiado às instâncias superiores de poder fez com que a construtora, que já era de grande porte antes do regime, fosse alçada ao topo da lista das empresas de construção civil. Entre 1971 e 1984, a empreiteira só não alcançou o maior faturamento do setor em dois anos: 1979 e 1984. A afinidade com os militares também aparece no financiamento da Operação Bandeirante (Oban), fato registrado por Campos em sua tese e pelo diretor Chaim Litewski no documentário “Cidadão Boilesen”.

– Essa prática de contribuir com a Operação Bandeirante, para financiar mecanismos de perseguição, tortura e assassinato de agentes da resistência à ditadura e da guerrilha armada, fez com que a ALN (Ação Libertadora Nacional) planejasse matar o Sebastião Camargo (outro fundador). Uma revista, à época, chegou a registrar que ele mandara os familiares próximos para fora do Brasil.

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/504583/noticia.html?sequence=1

Um texto do Senado que coloca um grupo cheio de BANDIDOS, guerrilheiros, terroristas e PEÇONHENTOS da pior espécie como a ALN (Ação Libertadora Nacional), como “salvadores da pátria”, deve ter sido publicado por simpatizantes do que hoje se conhece por facções criminosas e sofisticadas quadrilhas.

E a maioria desses RATOS imundos estão vivinhas da silva e recebendo indenizações que faltaram aos muitos trabalhadores honestos daquela época.

Pagamento de propinas por empreiteiras se consolidou durante “ditadura”, diz historiador – (Mariana Schreiber/BBC Brasil – 16/02/2016)

Ele pesquisou a história dessas empresas, e em especial seus laços com a ditadura militar (1964-1985), em sua tese de doutorado pela UFF, que deu origem ao livro Estranhas Catedrais.

Quando a Camargo Correa nasceu, por exemplo, em 1939, nota o pesquisador, um dos seus fundadores era cunhado de Adhemar de Barros, então governador-interventor de São Paulo que ficou historicamente atrelado ao bordão “rouba, mas faz”.

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-38337544

E vem um veículo de imprensa, caracterizado como público, da terra onde os súditos são predestinados a beijar os traseiros da realeza que ultrapassou os limites do capitalismo, com uma matéria de um historiador de um universidade federal da “Sodoma de Janeiro, que inclui outra entrevista ao “famoso” jornal Faliu de S.Paulo, com mais “ladainhas” que tem o único objetivo de mostrar que os “paus-mandados” gringos vieram aqui para tentar perpetuar as “putarias” que o Reino Unido sempre espalhou pelo mundo.

Muita gente se lembra que no passado, com muitas dificuldades, eram vistas obras por todas as partes, onde constavam nas máquinas e nos uniformes dos funcionários que se tratava de trabalhadores diretos de governos estaduais e municípios.

O próprio Odebrecht, o pai, disse em um depoimento que assim os militares deixaram o poder, o esquema de corrupção começou.

E começou tão devastador que acabou com as ferrovias que os ingleses espalharam pelo Brasil, ao qual custou muito caro, desde o Império, aos cofres públicos e foi para o ralo.

O que os ingleses levaram daqui, bem superfaturado, em troca do “progresso”, o jornalismo britânico não fala?

Adhemar de Barros

ricardosantosal – Chamada do documentário que BAND exibiu em 22/4/2007 às 22h30.

A inimputabilidade do rouba mas faz.

E os ladrão que rouba ladrão merece 100 anos de perdão ou sentar no colo do Capeta, por ter roubado duas vezes?

Ap. Valdemiro Santiago fala sobre perda do Canal 21

Cristotube Transmitimos a Cristo – 01/11/2013 – Com a voz triste e quase chorando o apóstolo Valdemiro Santiago confirmou que está deixando as emissoras do Grupo Bandeirantes. Os horários nas madrugas da TV Band e as 22 horas diárias na Rede 21 serão agora da Igreja Universal do Reino de Deus.

Cauê Moura e PC Siqueira – Os funcionários de Lulinha!

Blog Reflexões – 09/03/2016

É por essas e outras que a gente fala que o conserto do Estrago Laico será pior do que a caça aos comunistas.


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s