O esporte brasileiro em geral e as escolas e universidades – possibilidades de muitos ganhos

Publicado: junho 24, 2019 em Sem categoria

Capotão Ensebado

A Organização do futebol feminino nos Estados Unidos – (Universidade do Futebol – 16/03/2016)

Não há uma liga que corresponda à segunda divisão profissional no futebol feminino dos EUA. A principal entidade que forma jogadoras para o profissional é a universitária. Entre as várias ligas universitárias, há 1.667 times de futebol feminino em atividade.

A nível amador e até semi-profissional, há várias ligas adultas nos EUA. Uma das principais é a W-League. A entidade tem 18 times (17 americanos e um canadense) e disputa jogos nos meses de verão (maio a julho). A W-League também tem uma “categoria de base” chamada de W-20 para jogadoras até 20 anos. A outra liga é a Women’s Premier Soccer League ou WPSL. Essa liga conta com 82 times divididos em 12 divisões e tem um formato semi-profissional. Assim como a W-League, a WPSL compete nos meses de férias universitárias (de Maio a Julho). O motivo é pelo fato de a maioria das jogadoras desses times serem de nível universitário e usam a liga para chegarem em forma em seus campeonatos universitários.

https://universidadedofutebol.com.br/a-organizacao-do-futebol-feminino-nos-estados-unidos

Como as mulheres tornaram os EUA uma máquina de medalhas – (BBC Brasil – 28/07/2016)

Esses resultados não são coincidência, mas consequência, em boa parte, de uma lei americana. A Title IX, criada em 1972, impôs que as instituições de ensino proporcionassem as mesmas oportunidades educacionais para homens e mulheres – e, com a forte cultura esportiva do país, trouxe consigo a igualdade em investimento no esporte para ambos os gêneros.

Na prática, universidades e escolas foram obrigadas a igualar o número de vagas de bolsas de estudos oferecidas para programas esportivos femininos e masculinos e também a proporcionar a mesma estrutura de treinamento, instrução e desenvolvimento para homens e mulheres nos ambientes educacionais.

No esporte, o efeito da lei pode ser percebido nos números: em 1972, uma em cada 27 meninas praticava esportes nos Estados Unidos. Atualmente, a estatística está em uma em cada três – entre os meninos, um em cada dois.

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-36911394

France v Brazil – FIFA Women’s World Cup France 2019™

FIFATV – 23/06/2019

A seleção feminina, assim como o futebol da modalidade, é diferente da masculina.

As brasileiras jogaram muito bem, mas perderam por detalhes e falta de sorte.

Mas, daqui para frente ficará mais difícil e competitivo o futebol feminino, onde as jogadoras correm o tempo todo, não ficam trocando passes para segurar o jogo, não ficam catimbando, e se arriscam mais e jogam com mais raça.

Faltam mais apresentações e competições para que a Seleção Brasileira de Futebol feminino possa atuar mais.

E que as competições onde os clubes atuam, como Brasileirão, Copa do Brasil, Libertadores e outras, passem a ser mais frequentada pelo público e mais acompanhada pela imprensa.


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s