A TV Herzog – faxina geral ou fim?

Publicado: julho 18, 2019 em Sem categoria

Pauta Mole

TV Cultura terá telejornal menos comentado e Daniela Lima no Roda Viva – (Portal IMPRENSA – 04/07/2019)

Mudanças estão acontecendo no jornalismo da TV Cultura, emissora pública de São Paulo que recentemente passou a ser presidida por José Roberto Maluf. O “Jornal da Cultura”, levado ao ar diariamente com formato opinativo, será substituído por um telejornal nos moldes tradicionais, mais informativo e menos comentado.

Com isso, Willian Corrêa deixou o comando do jornal. Por conta própria decidiu deixar também a direção do departamento de jornalismo, que exercia há apenas três semanas. O jornalista deu um depoimento sobre a mudança ao colega Flavio Ricco, colunista de TV do UOL.

http://portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/82290/tv+cultura+tera+telejornal+menos+comentado+e+daniela+lima+no+roda+viva

A parceria Fundação Padre Anchieta + Faliu de S.Paulo + BANDo se for maquiada para servir de “toca” para esquerdistas mantidos com o dinheiro do contribuinte, é melhor nem começar.

Leão Serva é o novo diretor de jornalismo da TV Cultura – (Portal Imprensa – 17/07/2019)

O jornalista Leão Serva será o novo diretor de jornalismo da TV Cultura. Com passagens pela Folha de S.Paulo, Jornal da Tarde, iG e Diário de São Paulo, Serva é colunista da Folha e professor de ética no jornalismo na ESPM. É autor de vários livros, entre eles “Jornalismo e Desinformação” (Senac, 2001); “Como Viver em São Paulo sem Carro” (Santa Clara Ideias, 2012, 2013 e 2014) e “Um Tipógrafo na Colônia” (Publifolha, 2014).

Além de Serva, foi anunciada a contratação de Karyn Bravo pela TV Cultura. Ela será uma das apresentadoras do Jornal da Cultura ao lado de Ana Paula Couto, a partir da próxima segunda-feira, com novos cenários e um conceito diferente do atual.

http://portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/82349/leao+serva+e+o+novo+diretor+de+jornalismo+da+tv+cultura

O triste caso de Sakamoto, Vitral, Dimenstein e outros tiranos confessos – (Instituto Liberal/Rodrigo Constantino/Gazeta do Povo – 30/07/2018)

A essa altura, a grande maioria dos leitores já deve saber da exclusão sumária de cerca de 200 páginas e perfis do Facebook de tendências políticas liberais e conservadoras, muitas ligadas ao Movimento Brasil Livre. Não se sabe bem se isso foi feito com a justificativa de que espalharam “Fake News” (o que tem sido um pretexto eficaz para defender a censura e o controle do fluxo de informação), de que empregaram “contas falsas” ou qualquer outra alegação.

Não resta muito o que acrescentar ao que os amigos e militantes já disseram sobre o assunto, como o advogado Bernardo Santoro, a não ser manifestar o mais categórico apoio a todas as medidas de repúdio e reação contra essa atitude lamentável da empresa de Zuckerberg. Seria oportuno chamar a atenção, entretanto, para um detalhe que acaba, paradoxalmente ou não, sendo útil nessa história toda: mais uma vez a verdadeira natureza da escória da esquerda brasileira está explicitada. Ficou particularmente cristalino o horror que eles têm a qualquer pensamento contrário.

Reunimos algumas reações de lideranças do “lado de lá” sobre o caso e os leitores perceberão que são muito parecidas:

https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/o-triste-caso-de-sakamoto-vitral-dimenstein-e-outros-tiranos-confessos

Agência de “jornalismo independente” ligada a Sakamoto recebeu 1 milhão de reais de George Soros – (ILISP Org – 17/08/2016)

Dita “agência de jornalismo independente” e “sem fins lucrativos”, a Agência Pública recebeu mais de 1 milhão de reais do bilionário e principal financiador da esquerda pelo mundo, o húngaro-americano George Soros. De acordo com documentos vazados da Open Society Foundation de Soros e disponíveis na Internet, a Agência Pública, cuja razão social é “Centro de Jornalismo Investigativo”, recebeu nos últimos anos $85.000 entre 2011 e 2012 (R$ 220.000,00 em valores atuais), $86.500 entre 2014 e 2015 (R$ 285.000,00 em valores atuais) e $162.900 entre 2015 e 2016 (R$ 520.000,00), totalizando R$ 1.025.000,00 em cinco anos.

A Agência Pública pública tem entre seus conselheiros o blogueiro do UOL, Leonardo Sakamoto, e a jornalista do El País e da Época, Eliane Brum.

http://www.ilisp.org/noticias/agencia-de-jornalismo-independente-ligada-sakamoto-recebeu-1-milhao-de-reais-de-george-soros

TV Cultura lança edital de chamamento público para a formação de Banco de Talentos – (ABCdoABC – 17/07/2019)

As inscrições acontecem entre os dias 17 e julho e 17 de setembro e poderão ser feitas exclusivamente pelo site da TV Cultura.

https://www.abcdoabc.com.br/abc/noticia/tv-cultura-lanca-edital-chamamento-publico-formacao-banco-talentos-85265

Os novos talentos substituirão os “filhos pródigos”, para colocar um fim no parasitismo que vem desde antes do golpe do palanque das Diretas Já?

Apresentadora desabafa sobre provável fim do ‘Manos e Minas’, da TV Cultura: ‘Tempos sombrios’ – (Fefito/Jovem Pan – 15/07/2019)

Um dos programas mais tradicionais da TV Cultura e um dos poucos a falar sobre rap, slam e cultura da periferia, o “Manos e Minas” tem grandes chances de chegar ao fim. Em desabafo no Facebook, a apresentadora, Roberta Estrela D’Alva, afirmou que a emissora não promoverá novas gravações da atração.

https://blog.jovempan.uol.com.br/blogdofefito/2019/07/15/apresentadora-desabafa-sobre-provavel-fim-do-manos-e-minas-da-tv-cultura-tempos-sombrios

Um programa que mostra um DJ com uma camisa do MST, tem que ser apresentado na bolivariana teleSUR.

Em matéria de som, até se acha qualidade, mas em matéria de letra, é mesma lamentação e papo furado que persiste por décadas.

É hora de privatizar a TV Cultura – (Na Telinha/UOL – 05/07/2019)

Diante das novas tecnologias de informação, a TV Cultura deixou de ter razão de existir.

A TV Cultura foi criada inicialmente por Assis Chateaubriand, uma das personalidades da área empresarial e política de maior poder da história do Brasil, dono da TV Tupi e emissoras outras espalhadas pelo país, além de um império editorial de jornais.

Chateau queria resolver seu problema de lucro negativo e articulou a criação da Fundação Padre Anchieta, que poderia receber dotação orçamentária do Estado e assim comprar a TV Cultura dele.

https://natelinha.uol.com.br/colunas/coluna-do-sandro/2019/07/05/e-hora-de-privatizar-a-tv-cultura-130735.php

O acordo entre o Mercosul e a União Europeia também deveria incluir as emissoras públicas, trocando conteúdos e fazendo parcerias em produções.

PORÉM, SÓ PRIVATIZANDO MESMO PARA ACABAR DE VEZ COM “HERANÇA” DEIXADA PARA UM JORNALISTA COMUNISTA DO PASSADO QUE NÃO MERECE CREDIBILIDADE.

No Conselho Artístico da Cultura, Boni decreta: TV pública não tem que existir” – (Na Telinha/UOL – 22/06/2019)

Ex-diretor da Globo falou da sua experiência e como enxerga o futuro da televisão.

O presidente do Conselho Artístico da TV Cultura, o Boni, demonstrou concordância com Jair Bolsonaro em relação ao uso de dinheiro público para financiar emissora estatal.

https://natelinha.uol.com.br/televisao/2019/06/22/no-conselho-artistico-da-cultura-boni-decreta-tv-publica-nao-tem-que-existir-130212.php

Mil vezes pior do que TV pública, é a TV de poder legislativo.

A TV do Judiciário ainda tem utilidade para quem atua e estuda o assunto.

Jornal da Cultura | 17/07/2019

Jornalismo TV Cultura


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s